Araras, 16 de novembro de 2018

Integrante de elencos de óperas renomadas, a solista mezo soprano ararense Gabriela Bueno tem recebido críticas positivas e arrasado nos palcos com seu talento... Solista mezo soprano ararense tem arrasado nos palcos
Compartilhe em suas redes sociais!

Integrante de elencos de óperas renomadas, a solista mezo soprano ararense Gabriela Bueno tem recebido críticas positivas e arrasado nos palcos com seu talento e voz irretocável.

Como solista da Academia de Ópera do Theatro São Pedro/SP, seu trabalho mais recente foi como integrante do elenco do espetáculo “Efemérides – Bizet, Rossini, Donizetti e Berstein”, ocorrido no final de maio, no próprio Theatro. Um espetáculo leve e divertido em formato de concerto encenado com orquestra.

“Esta montagem é exclusiva dos alunos bolsistas da Academia de Ópera, onde cumprimos três programas próprios de óperas durante o ano, e participamos como coro ou personagens secundários das óperas da temporada do Theatro. Como será o caso da ópera  Káťa Kabanova de  Leoš Janáček,  uma ópera em tcheco que participarei do coro em agosto. Eu também participarei da ópera “Sonhos de Uma Noite de Verão” de B. Britten no coro também. Ao mesmo tempo participamos das óperas do Theatro, de concertos de canções francesas, alemãs, brasileiras e outros temas realizados no local”, contou ela.

Até o ano passado, Gabriela participava do Ópera Studio da Emesp (Escola de Música do Estado de São Paulo), porém com a fusão da Academia e do curso de Ópera da Emesp, ano passado ela se formou no curso de Ópera Studio e este ano ingressou na Academia do Theatro São Pedro. 

Com apenas 27 anos, formada em Licenciatura em Educação Musical pela Ufscar (Universidade Federal de São Carlos), ela iniciou na música estudando flauta transversal e dali surgiu o interesse em seguir nessa área.

“Porém comecei a me interessar por teatro musical porque é uma união das artes (canto, dança e teatro). Com isso fui me aprofundando no mundo do canto e me apaixonei definitivamente por canto lírico, quando comecei a estudar seriamente em São Paulo. Falo que a arte, não importa qual seja, é que nos escolhe, muitas pessoas tentam não seguir seus passos, porém admito que sem o canto, sem a arte, para mim não há inspiração, é ela que me motiva a cada dia”, emendou.

No currículo, Gabriela coleciona participações em óperas como: Don Giovanni de W. A. Mozart, como a personagem Zerlina em 2016, com apresentação no Theatro São Pedro, III Festival de Ópera do Paraná (2017), como Lola em Cavalleria Rusticana de P. Mascagni, com apresentações no Teatro Guairão, ópera As Bodas de Fígaro de W. A. Mozart como Marcellina no Theatro São Pedro (2017) no programa Ópera no Hall, além inúmeras apresentações em festivais internacionais em países como a Alemanha.

“Considero a minha ida para a Alemanha, o meu debut como Hélène um dos pontos altos da minha carreira, cresci muito como cantora, musicista, atriz. Ter tido a oportunidade de trabalhar com grandes mestres me fortaleceu musicalmente e psicologicamente”, relembrou.

Gabriela descreve cantar e estar no palco como o que ela faz de melhor e sua grande paixão. “Estar no palco para mim é igual quando se coloca um foco sobre alguém, porém isso não intimida apenas estimula a criar e buscar melhorar cada vez mais a forma de expressão no canto e no corpo. Gosto de apreciar minha arte e aprimorá-la para que atinja os espectadores. Pra mim, atuar em uma ópera é a maior realização e o sentimento que me domina é gratidão, e saber que após tantos anos de estudo agora posso aproveitar esses momentos preciosos no palco”, finalizou.

Compartilhe em suas redes sociais!

Rebeca Petrucci

error: Conteúdo não disponível para cópia.