Araras, 22 de setembro de 2018

Em carta aberta, o então candidato à Prefeitura de Araras nas eleições suplementares, Pedro Eliseu Sobrinho (DEM), anunciou que desistiu de concorrer e de... Pedrão se adianta à possibilidade de uma impugnação e desiste de candidatura
Compartilhe em suas redes sociais!

Em carta aberta, o então candidato à Prefeitura de Araras nas eleições suplementares, Pedro Eliseu Sobrinho (DEM), anunciou que desistiu de concorrer e de sua candidatura.

De acordo com o grupo político do democrata, “em defesa da estabilidade política, Pedro Eliseu deixa candidatura e o grupo vai indicar outro nome para ser candidato a prefeito”.
O atual prefeito em exercício de Araras, Pedrão Eliseu, não será mais candidato a prefeito na eleição suplementar marcada para dia 28 de outubro deste ano pela Coligação “ARARAS NÃO PODE PARAR”, integrada pelos partidos MDB, REDE, DEM, PHS, PSDB e SOLIDARIEDADE. O objetivo da decisão é evitar questionamentos jurídicos e manter a estabilidade política na cidade de Araras.
Ele apresentou sua defesa nesta quarta-feira (5) na Justiça Eleitoral aos pedidos de impugnação do registro de candidatura, ao mesmo tempo que oficializou sua renúncia da candidatura. Importante destacar que os pedidos de impugnação ainda sequer foram julgados pelo juiz eleitoral de Araras. Ele apresentou sua manifestação no processo e nem vai esperar pela decisão judicial, abrindo mão de seguir com sua candidatura.
A defesa apresentada à Justiça Eleitoral reforça que tanto Pedrão , quanto o filho Pedrinho Eliseu (PSDB), poderiam disputar a eleição suplementar deste ano, baseados em reiteradas decisões judiciais a favor. Entretanto, segundo a carta aberta, “no desejo de não causar tumulto ao processo eleitoral, o grupo entende que esta é a melhor atitude a se tomar”.
“Poderíamos até debater esse assunto e apresentar defesa com teses jurídicas, pois não pedi para assumir o cargo de prefeito (assumiu interinamente em junho por determinação judicial), mas não quero mais participar desse tipo de disputa, que só viria a tumultuar o cenário eleitoral”, citou Pedrão no documento.
Em sua manifestação nos processos, a Coligação “ARARAS NÃO PODE PARAR” requer a homologação da renúncia de Pedro Eliseu e que seja reconhecida a perda do objeto dos pedidos de impugnação do registro.
O grupo da Coligação “ARARAS NÃO PODE PARAR” se reuniu nesta quarta-feira (5) e deve anunciar nas próximas horas os novos integrantes da chapa que vão disputar a eleição suplementar.
Ainda não oficial, o nome que deverá substituir o democrata é o de Junior Franco, até então vice de Pedrão.

Veja a carta aberta na íntegra:

MENSAGEM À POPULAÇÃO
Por ordem do juiz eleitoral, como presidente da Câmara Municipal de Araras, assumi o cargo de prefeito, em razão da lamentável saída do prefeito Pedrinho Eliseu, pelos mesmos motivos de sempre que, peço licença, não me anima mais comentar.
Confesso que não esperávamos por isso, e por se tratar de obrigação prevista na Lei Orgânica, há pouco mais de dois meses, estou cumprindo com o meu dever cívico de administrar Araras, dando continuidade no projeto que vinha sendo executado, em busca, inclusive, do equilíbrio nas contas públicas, indispensável ao desenvolvimento da nossa cidade.
Surpreendido com a decisão, diga-se, inédita, do Egrégio TRE/SP, de realizar a nova eleição de prefeito no mesmo dia do 2º turno das eleições gerais, minha ideia era não participar de mais nada. Na verdade, aos 71 anos de idade, embora com energia e disposição, não me encantava mais o desejo de ser novamente prefeito, cargo que entre outros já ocupei com muita honra. Mas, diante de números eleitorais favoráveis e por já estar no cargo de prefeito, fui convencido de que era a pessoa indicada para liderar esse projeto e de que neste momento ser candidato era a coisa certa a fazer, sendo esta a vontade de muitos, isentos de paixões políticas.
Tendo em vista, porém, o pedido de impugnação, ainda não decidido pelo juiz, do meu registro de candidato, e as duas notícias de inelegibilidade levadas a ele, ambas “escritas” em termos jurídicos por pessoas que nem advogados são, decidi, com serenidade, deixar a disputa eleitoral, motivo pelo qual, nesta quarta-feira, apresentarei manifestação no processo e nem vou esperar pela decisão judicial, abrindo mão de seguir com a minha candidatura.
A alegação é de que como sou o pai do Pedrinho não posso ser candidato, por não haver decorrido seis meses entre a saída dele do cargo e a data da eleição. Poderíamos até debater esse assunto e apresentar defesa com teses jurídicas, pois, como disse, não pedi para assumir o cargo de prefeito, mas não quero mais participar desse tipo de disputa, que só viria a tumultuar o cenário eleitoral.
Agradeço, pois, a todos que manifestaram seu apreço pela minha candidatura e ao Povo ararense, que saberá compreender o acerto da minha decisão, emprestando seu apoio a quem vier a me substituir como candidato, com a condição de dar continuidade ao projeto de governo em andamento, porque Araras não pode parar!

Araras não pode parar!
Deus seja louvado.

Pedro Eliseu Sobrinho

Compartilhe em suas redes sociais!

Rebeca Petrucci

Nenhum comentário por enquanto.

Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo não disponível para cópia.