Araras, 27 de junho de 2017

Os maiores públicos             A temporada do futebol brasileiro ainda nem bem começou, mas já dá para perceber quais clubes serão os grandes atrativos....
Compartilhe em suas redes sociais!

Os maiores públicos

            A temporada do futebol brasileiro ainda nem bem começou, mas já dá para perceber quais clubes serão os grandes atrativos. Entre os 10 maiores públicos de jogos realizados até agora, destaque para Flamengo, São Paulo e Botafogo. Importante lembrar que público expressivo nem sempre resulta em grandes rendas. Veja o top 10: Flamengo 4 x 0 San Lorenzo (54.052), São Paulo 5 x 2 Ponte Preta (50.952), São Paulo 2 x 2 Mirassol (43.961), Grêmio 2 x 2 Inter (43.032), Cruzeiro 1 x 0 Atlético/MG (39.811), Corinthians 1 x 0 Santos (36.111), Palmeiras 3 x 0 São Paulo (36.090), Botafogo 2 x 1 Colo Colo (34.424), Corinthians 1 x 0 Palmeiras (30.727) e Botafogo 1 x 0 Olímpia (28.601).

 

Ele estava lá – 1

            O União São João realmente tem muitos torcedores e simpatizantes. Pode não ter levado ao estádio um número elevado de torcedores nos seus jogos, compatível com a população do município, mas o clube sempre despertou simpatia em muitos ararenses e até de torcedores de outras cidades. Seguindo a série “Eu estava lá”, hoje vou relatar um fato esportivo do União envolvendo um terceiro, o meu amigo jornalista Nilsinho Zanchetta. Antes de ser jornalista, Nilsinho era torcedor fanático do clube – ainda é – e compareceu em vários jogos, quando adolescente. Ele lembra um bastante marcante em sua vida, realizado em 1996, quando o União eliminou o Mogi Mirim nas quartas-de-finais da Série B do Brasileiro – o clube ararense acabou sagrando-se campeão posteriormente.

 

Ele estava lá – 2

            Nilsinho tinha 16 anos de idade e foi para Mogi Mirim com outras centenas de torcedores ver o União no jogo de mata-mata do Brasileiro. No primeiro confronto, em Araras, dia 3 de novembro de 1996, o União acabou perdendo por 1 a 0, e precisava reverter o placar fora no domingo seguinte, dia 10. Poucos acreditavam nessa reviravolta, mas o time conseguiu o feito. Venceu por 1 a 0, gol de Marcinho, e levou a decisão para os pênaltis, com vitória por 3 a 1. Foi uma festa incrível no estádio do Mogi, considerado o maior rival do União em toda sua história. O União jogou aquela partida com Adinan; Chiquinho, Lica, Marcelo Lopes e Ivonaldo; Kelé, Lico, Odair Ceará e Borges; Marcinho (Veras) e Reinaldo (Sairo). Técnico: Lula Pereira. Esse jogo ficou na memória de Nilsinho e de muitos outros torcedores.

Compartilhe em suas redes sociais!

Célio Casarin