Araras, 17 de novembro de 2017

            Sem dúvida já faz parte do passado a participação dos times do interior, como meros espectadores do Campeonato Paulista de Futebol Profissional. Por...
Compartilhe em suas redes sociais!

            Sem dúvida já faz parte do passado a participação dos times do interior, como meros espectadores do Campeonato Paulista de Futebol Profissional. Por exemplo, em décadas passadas, Internacional e Bragantino trouxeram importantes títulos para a galeria do interior. Mais recentemente, São Caetano e Ituano foram campeões, além de vários outros que chegam com frequência na final, como Botafogo, Ponte Preta e Guarani.

            Também é fato notório que as principais estrelas do nosso futebol fizeram escola no interior paulista, tornando este um dos principais celeiros de craques do futebol brasileiro. E não só a imprensa descobriu esta verdade, como também as grandes empresas começaram a acreditar e a investir no interior.

            Não temos mais dúvidas de que, quem quiser ser campeão paulista, terá que brigar muito pelos três pontos no interior. É aqui, e não nos clássicos da capital, que o título se decidirá. E não se iludam se surpresas acontecerem, pois devagar, o interior vem conquistando seu espaço definitivo.

 

Matando saudades

            Isto foi Araras esportiva há 23 anos passados. Naquela época, o timão do Palmeiras, mais uma vez não pode com o União São João. Você se recorda? Após derrotar o São Paulo bicampeão do mundo por 3 x 2, derrotar a Portuguesa por 4 x 0, depois foi a vez do Palmeiras conhecer a força do União São João na década de 1990.

            Naquela oportunidade foi realmente espetacular o resultado conquistado pelo Verdão ararense, em pleno Estádio Parque Antartica, quando não tomou conhecimento da máquina palmeirense que era considerada na época a melhor do futebol brasileiro. O Palmeiras tinha a certeza de conseguir outra goleada, por isso sua torcida lotou o estádio. Naquela oportunidade, o técnico Jair Picerni, mostrando outra vez capacidade, armou a mesma armadilha frente ao São Paulo: marcação homem a homem em todos os cantos do gramado.

            Naquele encontro só dava Palmeiras, mas a bola não entrava no gol, pois a sorte estava do lado do time ararense, inclusive o goleiro Privatti, o grande herói da noite, defendendo uma penalidade máxima chutada por Evair. Veio o 2º tempo e foi vibrante, dramático, bombardeio de todos os lados, mas a defesa do União estava impecável. Eram decorridos 8 minutos e Antonio Carlos escorrega, aparece o oportunismo de Israel e marca 1º gol, calando todo o Estádio do Parque Antartica.

            O Palmeiras se agiganta e vai em busca do empate, e sua torcida incentiva o time. Cesar Sampaio é expulso de campo, Luxemburgo reforça o ataque, colocando Sorato, que perde diversos gols. Picerni também faz alterações, entrando Ederaldo, mas só dava Palmeiras. Privatti garante tudo, Vagner, um gigante, reclama do juiz e é expulso de campo. O gol amadurece, e aos 27′ a defesa do Palmeiras avança, primeiro descuido do Verdão, Cleber aproveita e empata o jogo.

            A partida é disputadíssima e emocionante. Os palmeirenses não acreditam, e o tempo vai passando. O gol não sai e termina o encontro com sensacional resultado de empate para o time ararense. Público de 23.844 pagantes. Isto era Araras que mostrava sua força também no esporte.

 

Matando saudades

            Naquela época havia poucas quadras de esporte em nossa cidade. Por isso a quadra dos Marianos era frequentada todos os dias e também à noite pela juventude ararense. Eram realizados pequenos torneios, campeonatos de futsal e inúmeras partidas amistosas entre amigos.

            Os assinantes de Tribuna do Povo e leitores da coluna Cidico e Portilho trouxeram várias fotos antigas para serem publicadas. Todos serão atendidos na medida do possível, para matar a saudade.

            Hoje publicamos um timão de futsal da Tribuna do Povo de 1966 – 51 anos são passados, numa partida realizada na quadra de esportes dos Marianos.

Compartilhe em suas redes sociais!

Walter Gambini