Araras, 21 de agosto de 2017

É guerra             Confiança está em alta na Academia de Futebol do Palmeiras. Garantido nas semifinais do Campeonato Paulista com a melhor campanha do...
Compartilhe em suas redes sociais!

É guerra

            Confiança está em alta na Academia de Futebol do Palmeiras. Garantido nas semifinais do Campeonato Paulista com a melhor campanha do torneio e líder de sua chave na Taça Libertadores, o Verdão tem convivido com o status de favorito em 2017. E, para o meio-campista Alejandro Guerra, tal pressão é vista como normal dentro do clube. Em entrevista coletiva no fim da manhã desta segunda-feira, o venezuelano falou sobre o momento da equipe e afirmou que “será um fracasso” se o Verdão não conquistar o título da competição continental.

 

Reforço

                O São Paulo anunciou na segunda-feira a contratação de Marcinho, ex-São Bernardo. Morato, do Ituano, depende de detalhes finais para ser oficializado. Os dois foram emprestados até o fim do ano, com opção de compra fixada nos respectivos vínculos. O técnico Rogério Ceni aprovou os nomes para repor a saída definitiva de Rogério, emprestado desde 2016 e adquirido recentemente pelo Sport. Marcinho atua como ponta-direita e chamou atenção de Ceni no duelo com o São Paulo, pela última rodada da primeira fase do Paulistão. Com reservas, o Tricolor venceu por 1 a 0, no Estádio Primeiro de Maio, e rebaixou o Bernô. O atleta de 21 anos fez 10 jogos e um gol no torneio estadual.

 

Consolidando

                Fabio Carille vai, aos poucos, consolidando-se na posição de técnico do Corinthians. Cercado de desconfianças no início do ano, o treinador festeja a classificação da equipe para a semifinal do Paulistão e exibe números que se assemelham aos de Tite, seu mentor, no início de 2016. Em 22 partidas disputadas desde janeiro (19 oficiais), Carille tem 13 vitórias, 7 empates e apenas 2 derrotas. Dos 66 pontos disputados, portanto, o time acumulou 46, com um ótimo percentual de 69% de aproveitamento.

 

Absurdo

            O zagueiro Wagner Fogolari, do São José, pretende registrar nesta terça-feira o boletim de ocorrência contra os atos de racismo que teria sofrido no segundo tempo do jogo contra o Novo Hamburgo, pelas quartas-de-final do Campeonato Gaúcho. De acordo com o jogador, ele está aguardando o advogado do clube chegar de viagem para tomar a providência. Wagner alega que foi chamado de “macaco” por um homem que estava em cima do caminhão de som que foi usado antes do jogo e durante o intervalo. O veículo estava no pátio do Estádio do Vale, próximo às grades de proteção do campo.

Compartilhe em suas redes sociais!

Marcial D'Sanctis