Araras, 23 de janeiro de 2019

De tirar o chapéu O União São João tomou uma decisão importante após o final do Paulista da A-3, quando foi rebaixado novamente. Decidiu...
Compartilhe em suas redes sociais!

De tirar o chapéu
O União São João tomou uma decisão importante após o final do Paulista da A-3, quando foi rebaixado novamente. Decidiu disputar o Paulista Sub-20 neste ano, já pensando na 4ª divisão do Paulista de 2014. Iniciativa corajosa e muito válida para tentar manter o clube em atividade. Resta saber quem vai pagar a conta, pois todos sabem que o clube passa por momento delicado financeiramente. De qualquer forma, tiro o chapéu.

Comissão técnica caseira
Atualmente o clube está na fase de formação do time sub-20, com a realização de peneira (testes). A comissão técnica ainda não foi formada, mas a responsabilidade momentânea dos primeiros treinos é do “eterno” técnico das categorias de base do União, Silvio Garlizoni. Aliás, prefiro que o clube dê mais oportunidade para profissionais da própria cidade para formar essa comissão técnica, afinal, os dois “estrangeiros” que atuaram recentemente no clube não tiveram muito sucesso com o time profissional. Sugiro nomes da própria cidade, como o próprio Garlizoni ou o ídolo do clube Miranda. E esse técnico formaria também uma comissão com pessoas da própria cidade, com identificação moral com o clube.

Mercado da bola
Estamos na fase final dos campeonatos estaduais e prestes a começar o Campeonato Brasileiro. Chegou a hora do troca-troca de jogadores. Certamente vários clubes já negociaram ou estão negociando jogadores, mas a concretização dos negócios só acontecem após os clubes terminarem suas participações nos estaduais. A Ponte Preta, por exemplo, está eliminada do Paulista e começam as especulações de saída de jogadores. Existe também o mercado internacional, mas a próxima janela de transferência será somente no meio do ano.

Onde há fumaça…
João Havelange renunciou ao cargo de presidente de honra da Fifa, que anunciou oficialmente nesta terça-feira a decisão. O brasileiro, porém, já havia deixado o posto há duas semanas. O anúncio da saída ocorre depois de o dirigente ter o seu nome envolvido em um escândalo de corrupção que manchou de forma significativa a reputação da entidade que controla o futebol mundial. Ele, o ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e o presidente da Conmebol, Nicolás Leoz, são acusados de ter recebido propina. É triste, mas não duvido de todas essas denúncias. Aliás, a corrupção deve estar presente em inúmeras federações, confederações, associações etc. etc.

Compartilhe em suas redes sociais!

Célio Casarin

error: Conteúdo não disponível para cópia.