Araras, 24 de abril de 2017

A participação de Olga Pereira Sardinha em um grupo de reivindicação pelo uso da Casa da Cultura para reuniões sobre arte a motivou para... Aprendendo a pintar com Olga Sardinha

Artesã montou o ateliê em sua casa, onde ministra aulas de pintura FOITO: Cristiano Leite/Tribuna)

A participação de Olga Pereira Sardinha em um grupo de reivindicação pelo uso da Casa da Cultura para reuniões sobre arte a motivou para fazer do mundo dos artistas plásticos. Foi uma entrada despretensiosa no mundo das artes, mas que a tornou professora e um importante nome quando o assunto é pintura de pessoas. Ela se considera uma pintora acadêmica. “É aquele tipo de pintura mais perto da perfeição, que se atenta aos detalhes do objeto, das pessoas ou mesmo da paisagem”, conta a artesã, que adota a técnica óleo sobre tela.

Olga deu aula de pintura entre por dez anos e parou em 2005 para cuidar do marido. Este ano, porém, retornou às atividades no ateliê que montou em sua casa, no Center Martini. Lá ela recebe alunos de todas as idades, especialmente meninas e senhoras. Ela credita o sucesso das aulas à força do artesanato para melhor problemas psicológicos, como a depressão. “Pintura cura depressão. Muita gente busca a pintura como terapia, as pessoas saem diferentes, porque ocupam a cabeça com outras coisas.”
Após incentivo de colegas, Olga, hoje com 70 anos, começou a frequentar aulas de pintura em Conchal e em Campinas, onde aprendeu com diversos professores de destaque. “Em Campinas fiz um ano de trabalho pintando fotografia, que é o mais difícil. Até que um professor me aconselhou a dar aula”, explica sobre o início da carreira.
Há 20 anos, a Personagem do Bairro desta edição começou a participar de salões de arte e em 1999 teve suas primeiras obras em exposição. Como nem sempre ela se dedicou às artes – era cabeleireira – foi no salão que começou a ministrar as primeiras aulas. Quando conseguiu a aposentadoria, iniciou as aulas de pintura no Casarão da praça Monsenhor Quércia (Calçadão).
Recentemente, Olga criou, com a ajuda da filha, uma loja virtual, um espaço em que coloca à venda seus quadros e guardanapos.

Célio Casarin