Araras, 24 de maio de 2017

            A verdade é uma só, o Comercial FC sempre teve bons jogadores de futebol. É só desfolear as paginas de sua história. Cada...
Compartilhe em suas redes sociais!

            A verdade é uma só, o Comercial FC sempre teve bons jogadores de futebol. É só desfolear as paginas de sua história. Cada um com sua característica diferente, uns mais técnicos, outros mais raçudos, outros goleadores, dribladores, altos e baixos – dentro das quatro linhas do gramado tinham um único lema: um por todos e todos por um.

            Formavam um conjunto de botar inveja, tendo conquistado respeito em toda a região, tal harmonia e o amor em defesa das cores comercialinas.

            Entre tantos jogadores raçudos, hoje, Reminiscências Esportivas quer homenagear um grande campeão, que ajudou a escrever a história do Comercial FC e que jamais poderá ser esquecido. Seu nome de batismo, Fernando Antonio Caninana, carinhosamente naquela época chamado por Caninana.

            Com um físico invejável, foi aos poucos conquistando a confiança dos diretores, comissão técnica e da torcida. Moço honesto, jogava de volante, trabalhador e valente. Um companheirão. Uma das alegrias desse campeão aconteceu no ano de 1947, 70 anos já passados, aos lado de tantos talentos, como Tigre, Alfredo, Daltro, Flávio, Cláudio, Tico Floriano, Toneti, Nando, Jader e outros. Recebeu com todo orgulho as faixas de Campeão Amador da cidade. Em 1948, o Comercial FC tinha um timaço de futebol, formado por Chile, Cláudio, Pizza, Caninana, Lote, Piano, Nando, Flávio, Jader, Eolinho e Joãozinho.

            Esse gigante Caninana, sempre em vida nos contava que gostava de participar de derbys da cidade, sentia o calor da torcida e o coração vibrava dentro do tapete verde. “Olha Walter, quando o Comercial FC ganhava do rival, o carnaval já começava com a saída do Estádio São Joaquim. Quando perdia, eram lágrimas, camisas molhadas simbolizando a tristeza das garras afiadas do Leopardo da Paulista, frente a seu maior adversário, a Associação Atlética Ararense”, dizia ele.

            Quando esse campeão já estava com 39 anos de idade, em maio de 1953 a Liga Rural de Futebol promovia um campeonato, e o Mundo Novo FC, através do seu presidente Emílio Salomé Filho, foi buscar Caninana, que com sua simplicidade não sabia dizer não, e assina a ficha nº 227 para defender o Mundo Novo FC, realizando uma boa campanha.

            Caninana, em vida, defendeu o Comercial FC, EC Lemense, Operário FC, Seleção Ararense de Futebol, Caio Prado FC, EC Santa Cruz, Caldense e outras equipes.

            Mas no dia 11 do mês de maio do ano de 1980, com 65 anos de idade, a cidade recebe a notícia do seu falecimento. Ele partia deixando uma imensa saudade. A esse grande campeão, pelo muito que fez em defesa do esporte ararense, o nome Caninana merece ser escrito no livro de Memórias Esportivas de Araras. A esse campeão, com recordações e lembranças, nossas homenagens em nosso Cantinho de Saudades.

Compartilhe em suas redes sociais!

Walter Gambini