Araras, 23 de outubro de 2017

              15 de agosto 2009, Araras católica festejava com muita festa o dia da Padroeira Nossa Senhora do Patrocínio. Nessa mesma data, 15 de...
Compartilhe em suas redes sociais!

              15 de agosto 2009, Araras católica festejava com muita festa o dia da Padroeira Nossa Senhora do Patrocínio. Nessa mesma data, 15 de agosto, falecia aos 79 anos de idade aquele que foi no passado, pra mim, o maior centroavante da história da Sociedade Esportiva Recreativa Usina São João: Carlos Dadona, mais conhecido por Carlito Dadona.

              Uma longa história defendendo o futebol ararense. Vou tentar resumir um pouco da história desse campeão. Começou sua carreira ainda garoto, tinha apenas 8 anos de idade, mas tinha uma característica diferente dos outros meninos. Levava a sério seu futebol, suava a camisa, jogava com determinação.

              Na década de 50, a convite do hoje saudoso Hermínio Ometto, veio para Araras defender as cores da Sociedade Esportiva Recreativa Usina São João, pois era inegavelmente um grande artilheiro, fazia gols espetaculares e isso agradava a torcida. No início de sua carreira começou como lateral esquerdo, depois beque central, mas projetou mesmo foi de centroavante. Verdadeiro guerreiro, rompedor, dando muito trabalho para as defesas adversárias.

              Carlito começou sua carreira no Caui (Clube Atlético Usina Iracemápolis), em 1948, e conquista título por esse clube em 1953; no mesmo ano joga também no Flamengo de Piracicaba; em 1954, no Sete de Setembro; e em 1956 defende as cores do Gran São João, de Limeira.

              Em 1957/58 ele veste as cores do Verdão Ararense, e participa do Torneiro Castilho Cabral, ao lado de Walter, Rosalem, Joãozinho, Basílio, Bortolam, Dácio, Paulo, Dirceu, Carlito, Marinho e Lemão.

              Em 1959 é o comandante do ataque da Usina, enfrentando o Palmeiras da capital na festa de inauguração do Estádio Engenho Grande. Em 1960 é campeão Amador do Estado pelo Verdão dos Canaviais. Em 1961 é apontado como um dos melhores jogadores da Usina e da região. Em 1962, após derrotar o EC Matarazzo de Araçatuba, por 4 a 3, a Usina levanta o título de campeã Amadora do Estado de São Paulo. Esse encontro foi realizado no campo do Noroeste de Bauru, e Carlito deixou sua marca, anotando um dos tentos. Para matar um pouco da saudade, eis os campeões: Walter, Vicente, De Sordi, Luizinho, Thium, Lairto, Zinho, Nedir, Carlito, Curvinha e Giraci.

              A maior consagração desse campeão aconteceu em 1963, quando conquistou o bicampeonato do Estado de São Paulo, em memorável jornada numa melhor de 3 pontos, contra a forte equipe da AE Guarda Civil de São Paulo. Na 1ª partida, realizada no Estádio Engenho Grande, a Usina venceu por 2 a 1, e na segunda o time ararense foi derrotado em São Paulo. A grande decisão, em campo neutro, aconteceu na cidade de Campinas, campo do Guarani. No tempo regulamentar o placar foi de 1 a 1, e na prorrogação a Usina venceu por 4 x 3, sagrando-se bicampeã do Estado de São Paulo, jogando com Walter, Vicente, De Sordi, Luizinho, Thium, Lairto, Giraci, Nedir, Carlito, Curvinha e Oswaldo.

              Uma partida espetacular na história desse campeão aconteceu no Estádio Municipal do Pacaembu, super lotado, contra o quadro do Ypiranga. A Usina venceu por 4 a 1 e Carlito marcou um gol de bicicleta. A partida principal seria um jogo da seleção brasileira.

              Outra partida espetacular aconteceu na cidade de Porto Ferreira, onde a Usina São João venceu por 4 a 3, e Carlito marcou os 4 gols. No jogo de volta, a Usina venceu por 7 a 1 e Carlito anotou os sete tentos.

              Em 10 de fevereiro de 1971 tive a satisfação de entrevistá-lo no meu programa Reminiscências Esportivas, pela Rádio Centenário.

              Carlito tinha todas as qualidades, como malicioso, o famoso jogo de cintura, era catimbeiro… tudo isso fazia parte do nosso homenageado de hoje. Inclusive, nos dizia que muitos gols tinham um sabor especial. Ora feitos em impedimentos, outros com a mão, para o delírio da torcida. E levava os juízes na conversa, que confirmavam os gols.

              Ao grande Carlito Dadona, com recordações, nossas homenagens em nosso Cantinho de Saudades.

 

Sociais

              Na próxima quarta-feira estará colhendo mais uma primavera a leitora da coluna Wilma G. da Silva. Parabéns, muitas felicidades e muitos anos de vida.

 

Dia dos Pais

              Amanhã é um dia especial, dedicado aos pais. A eles, nossas homenagens, e aos que já partiram desse mundo, nossas homenagens em nosso Cantinho de Saudades.

Compartilhe em suas redes sociais!

Walter Gambini