Araras, 17 de novembro de 2017

Redator interino: Célio Casarin   Pulando (o) Carnaval A frase pode ser interpretada de duas formas: pular Carnaval ou pular o Carnaval. Há quem...
Compartilhe em suas redes sociais!
A beleza contagiante de Maria Gabriela Zanghettin chamou a atenção na Festa Santa Sunset, na Fazenda Santa Gertrudes, sábado passado

A beleza contagiante de Maria Gabriela Zanghettin chamou a atenção na Festa Santa Sunset, na Fazenda Santa Gertrudes, sábado passado

Redator interino: Célio Casarin

 

Pulando (o) Carnaval

A frase pode ser interpretada de duas formas: pular Carnaval ou pular o Carnaval. Há quem não abre mão da folia e vai literalmente pular Carnaval, se divertir, dançar, namorar, beber… E são poucas opções em Araras, na comparação com grandes cidades que têm o desfile de rua e blocos consagrados. Tem também os que não gostam de Carnaval e preferem ignorar o que a data lhes oferece, optando em curtir um final de semana prolongado de outra forma, seja enfurnado em casa assistindo filmes e seriados, visitar parentes, viajar para outro tipo de passeio, alugar uma chácara… Enfim!

 

O Carnaval que não pegou

Não há como negar que Araras vive um período em que o Carnaval não é um grande atrativo na atualidade. Não tem desfile de rua, não há blocos nas ruas, e as escolas de samba de outras épocas estão sumidas. Só fãs abnegados ainda não deixam o Carnaval morrer de vez. Os clubes também vivem essa crise já há anos… O ararense não lota mais os salões como aconteciam com Sayão, AAA e até Clube dos Bancários. Com muita insistência e boa vontade, os clubes locais continuam oferecendo aos seus associados opções de lazer, mesmo modestas.

 

Pra fora da cidade

Araras tem um histórico muito rico de desfile de rua, mas de muitas décadas atrás. Num passado mais recente, o Carnaval de rua não “pegou”, tanto que foi retomado no governo Brambilla em 2010 e cancelado por ele mesmo em 2014. Mesmo com essa “crise”, nota-se pelas redes sociais muitos ararenses se divertindo em outras localidades. Prova de que boa parte dos ararenses gosta sim de se divertir e pular Carnaval. Está faltando apenas encontrar o feeling para essa retomada do sucesso.

 

ASCENSORISTA:

SOBE – Insistência dos diretores de clubes sociais da cidade em oferecer opções de lazer no Carnaval aos seus associados, mesmo com um declínio da festa nos últimos anos.

DESCE – Insistência das operadoras de TV, telefonia e internet em vender seus serviços somente com “venda casada”, proibido pelo Código de Defesa do Consumidor.

Compartilhe em suas redes sociais!

Rebeca Petrucci